27 de outubro de 2011

Terço Missionário



O terço missionário é uma oração simples e popular. Saudamos e louvamos Nossa Senhora, Mãe de Deus e nossa, de forma carinhosa e confiante. Por ser uma oração simples todos podemos rezá-la. Rezando o Terço, tornamo-nos discípulos de Jesus Cristo, com Maria e nos dispomos, como Maria, pela força do Espírito Santo, a realizar a missão de Jesus Cristo, o enviado do Pai. "A oração deve acompanhar os passos dos missionários, para que o anúncio da Palavra se torne eficaz, pela graça divina" (RMi 78). Pela oração do Terço Missionário podemos nos encontrar com todos os povos, raças e culturas da terra. Atingimos, desta forma, os imensos horizontes da missão. Rompem-se os egoísmos e as intenções particulares, em nossas orações, para rezar pelas necessidades de todos os povos da terra.


AS CORES DO TERÇO MISSIONÁRIO
O bispo Fulton Sheen, quando era Diretor Nacional das Pontifícias Obras Missionárias, nos Estados Unidos, teve a idéia do "Terço Missionário". O Terço é formado de cinco dezenas. Cinco são também os continentes do mundo. Ele escolheu uma cor para cada Continente que, de alguma forma, recorda suas características. Ao rezar cada dezena pede-se por todos os que vivem nesse Continente.
A originalidade do Terço Missionário é o encontro na oração com todos os povos, raças e culturas do nosso planeta.

OFERECIMENTO DO TERÇO
Divino Espírito Santo, iluminai nossas inteligência e nossos corações para que, ao meditarmos os mistérios da nossa redenção, possamos imitar os exemplos de Jesus e Maria anunciando a todos o grande amor de Deus para conosco. Caminhando junto com toda a humanidade, oferecemos nossas orações pela Paz no mundo, pelas pessoas vítimas das injustiças, pela santificação de todas as famílias, por aqueles que anunciam o Evangelho nos cinco continentes, pelas intenções do Papa, pelas nossas comunidades e por todo o povo de Deus para que se torne sempre mais solidário com os povos do mundo inteiro.
Rainha das Missões, fazei que todas as pessoas de boa vontade se dêem as mãos, superem os rancores e se tornem construtores de uma sociedade sem fronteiras, justa e solidária, para o nosso milênio.

CREIO

PAI-NOSSO

3 AVE MARIA

GLÓRIA AO PAI

A cada mistério reza-se 1 (um) Pai-Nosso, 10 (dez) Ave-Marias, 1 (um) Glória ao Pai e a oração: Meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.

PRIMEIRO MISTÉRIO
A cor verde lembra as imensas florestas e savanas de África e também a virtude da esperança. Vamos rezar por todos os que vivem no continente africano, em especial, pelo florescimento cristão do povo e pelo ardor dos missionários que aí trabalham, sobretudo o dos capuchinhos de Angola.
- Neste mistério, peçamos a Maria, Rainha das Missões, que interceda pela paz, pela liberdade e pelo pão de cada dia de todos os povos da África e por um abundante clero nativo.

SEGUNDO MISTÉRIO
A cor vermelha evoca os povos originários de toda a América e o sangue de inocentes derramado em guerras, lutas de conquista, revoluções e guerrilhas. Vamos rezar por todos os que vivem no continente americano, que é aquele que tem maior número de católicos, mas onde são muitas as injustiças e desigualdades sociais. Em particular, rezemos para que cessem a exploração dos pobres e as guerrilhas fratricidas e aumente ainda mais o amor a Nossa Senhora.
- Neste mistério, peçamos a Maria, Rainha das Missões, que ajude a Igreja a ser defensora dos pobres, lutando com amor pelos mais pequeninos para que tenham justiça social, paz e solidariedade.

TERCEIRO MISTÉRIO
A cor branca evoca os povos originários do continente europeu e a pureza de coração que o cristão visa alcançar. Vamos rezar por todos os que vivem na Europa, donde outrora partiram tantos missionários, mas carece hoje de uma nova evangelização e de vocações apostólicas. Rezemos, em particular, pela reafirmação dos valores cristãos, pelo aumento das vocações consagrados e pelo maior empenho evangélico dos leigos.
- Neste mistério, peçamos a mediação de Maria, Rainha das Missões, para que aumente a fé cristã e o clero dos povos europeus, sobretudo do povo português que sempre dedicou à Mãe do Céu um profundo amor filial.

QUARTO MISTÉRIO
A cor azul lembra os vastos mares da Oceânia e a serenidade e paz que emana de Maria. Vamos rezar por todos os que vivem neste continente formado por milhares de ilhas, cuja insularidade dificulta o trabalho missionário, originando que muitas pessoas nunca tenham ouvido falar de Jesus Cristo.
- Neste mistério, peçamos a intercessão de Maria, Rainha das Missões, para que surjam muitos missionários que levem Jesus a todas as ilhas da Oceânia, e estas se tornem como contas de um imenso Rosário de fé e amor a Deus.

QUINTO MISTÉRIO
A cor amarela evoca os povos originários do continente asiático e a luz divina do amor do Pai. Vamos rezar por todos os que vivem no continente asiático, em especial pelo povo de Timor-Leste, com quem estão os missionários capuchinhos de Laleia e Tibar. É o continente onde Jesus semeou o Evangelho e o seu sangue mas onde Ele é menos conhecido.
- Neste mistério, peçamos a Maria, Rainha das Missões, que interceda para que o sangue de tantos mártires na Ásia do século XX se transforme em semente de cristãos e para dar força e alento a todos os que são sinal de Cristo, quer sejam missionários, consagrados ou se preparem para o sacerdócio, em especial os de Timor-Leste.

AGRADECIMENTO
Infinitas graças vos damos, Soberana Rainha das Missões, pelos benefícios que todos os dias a família humana recebe de vossas mãos. Dignai-vos, agora e para sempre, colocar-nos sob a vossa maternal e poderosa proteção.

SALVE RAINHA

LADAINHA

Senhor - Tende piedade de nós
Jesus Cristo - Tende piedade de nós
Senhor - Tende piedade de nós
Jesus Cristo - Ouvi-nos
Jesus Cristo - Atendei-nos
Deus, Pai do céu - Tende piedade de nós
Deus, Filho, Redentor do mundo - Tende piedade de nós
Deus, Espírito Santo - Tende piedade de nós
Santíssima Trindade que sois um só Deus - Tende piedade de nós
Santa Maria - Rogai por nós
Santa Mãe de Deus - Rogai por nós
Santa Virgem das Virgens - Rogai por nós
Mãe de Jesus Cristo - Rogai por nós
Mãe da divina graça - Rogai por nós
Mãe puríssima - Rogai por nós
Mãe castíssima - Rogai por nós
Mãe imaculada - Rogai por nós
Mãe intacta - Rogai por nós
Mãe amável - Rogai por nós
Mãe admirável - Rogai por nós
Mãe do bom conselho - Rogai por nós
Mãe do Criador - Rogai por nós
Mãe do Salvador - Rogai por nós
Mãe da Igreja - Rogai por nós
Virgem prudentíssima - Rogai por nós
Virgem venerável - Rogai por nós
Virgem louvável - Rogai por nós
Virgem poderosa - Rogai por nós
Virgem benigna - Rogai por nós
Virgem fiel - Rogai por nós
Espelho da justiça - Rogai por nós
Sede da sabedoria - Rogai por nós
Causa de nossa alegria - Rogai por nós
Vaso espiritual - Rogai por nós
Vaso honorífico - Rogai por nós
Vaso insigne de devoção - Rogai por nós
Rosa mística - Rogai por nós
Torre de Davi - Rogai por nós
Torre de marfim - Rogai por nós
Casa de ouro - Rogai por nós
Arca da aliança - Rogai por nós
Porta do céu - Rogai por nós
Estrela da manhã - Rogai por nós
Estrela da evangelização - Rogai por nós
Saúde dos enfermos - Rogai por nós
Relógio dos pecadores - Rogai por nós
Consoladora dos aflitos - Rogai por nós
Auxílio dos cristãos - Rogai por nós
Rainha dos anjos - Rogai por nós
Rainha dos patriarcas - Rogai por nós
Rainha dos apóstolos - Rogai por nós
Rainha dos mártires - Rogai por nós
Rainha dos confessores - Rogai por nós
Rainha das virgens - Rogai por nós
Rainha de todos os santos - Rogai por nós
Rainha concebida sem pecado original - Rogai por nós
Rainha assinta ao céu - Rogai por nós
Rainha do santo rosário - Rogai por nós
Rainha da paz - Rogai por nós
Rainha das Missões - Rogai por nós
Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo - Perdoai-nos, Senhor
Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo - Ouvi-nos, Senhor
Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo - Tende piedade de nós
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus - Para que sejamos dignos das promessas de Cristo


OREMOS:

Derramai, ó Deus, a vossa graça em nossos corações para que conhecendo a encarnação de Cristo, vosso Filho, cheguemos por sua paixão e cruz, á glória da ressurreição pela intercessão da Virgem Maria. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.


Rezar assiduamente o Terço Missionário é ter o mundo nas mãos. É conduzir ao Coração Imaculado de Maria as intenções de todos os povos, raças e culturas da Terra. É rezar pelas missões e pelos missionários e colaborar na missão universal da Igreja.


Encontro de Catequese - Tema: Encerramento do Mês Missionário


Prepare um ambiente bem acolhedor, utilizando elementos que nos ajudem a refletir sobre o mês missionário. Se possível, prepare um pequeno altar, com toalhas nas cores missionárias, flores, o globo, uma imagem de Nossa Senhora e no chão, em direção ao altar, faça pequenos chinelinhos (de EVA) com a mensagem: “Ide e fazei discípulos meus todos os povos!” (Mt 28,19). O molde do chinelinho, encontrei no blog Pequeno Gigante.  











Acolhida – Acolher os catequizandos com alegria e cânticos animados. Se possível, usar cânticos que falem de missão.
Sugestão: O Senhor me chamou a trabalhar
1. O Senhor me chamou a trabalhar, a messe é grande ceifar. A Ceifar, o Senhor me chamou, Senhor, aqui estou! Senhor aqui estou!

Coro: Vai trabalhar pelo mundo afora! Eu estarei até o fim contigo! Está na hora, o Senhor me chamou. Senhor, aqui estou! Senhor, aqui estou!

2. Dom de amor é a vida entregar, falou Jesus e assim o fez. Dom de amor é a vida entregar, chegou a minha vez! Chegou a minha vez!

3. Todo o bem que na terra alguém fizer, Jesus no céu vai premiar. Cem por um, já na terra ele vai dar, no céu vai premiar! No céu vai premiar!

4. Teu irmão a tua porta vem bater, não vai fechar o teu coração. Teu irmão ao teu lado vem sofrer, vai logo socorrer! Vai logo socorrer.

Oração Inicial
Fazer um momento de reflexão. Pedir para cada catequizando observar o ambiente em sua volta. Os chinelinhos representam cada um dos catequizandos. Neste momento, pode-se colocar uma música suave e pedir para que todos fechem os olhos e pensem um pouco em suas atitudes... Estou amando a Deus em primeiro lugar e falando Dele com amor para todos, ou tenho vergonha de demonstrar meu amor à Deus? Estou amando meus irmãos como Jesus me amou? ...

A catequista Sheila postou em seu blog uma excelente reflexão que pode nos ajudar a conduzir melhor este momento. Clique Aqui!

Evangelho do dia – Mt 23, 1-12

Motivação (ver)
- No encontro anterior, dividimos a turma em cinco grupos e pedimos para cada grupo pesquisar sobre um continente. Neste momento, os grupos devem apresentar para a turma, tudo o que conseguiram descobrir sobre o seu continente.

Colocação do tema (julgar)
- Explicar o que é o terço missionário e propor a turma um terço bem dinâmico. Cada grupo deve rezar com muita fé, um mistério do terço, oferecendo ao continente que pesquisou.

Agir Transformador (ação)
- Procurar ser missionário na sua comunidade, atendendo ao apelo de Jesus: “Ide e fazei discípulos meus todos os povos!”

Atividade – Livre

Oração Final – Oferta de rosas à Nossa Senhora
Prepare uma flor de cinco pétalas para cada catequizando. Pedir para cada um escrever um pedido na flor e dobrar as pétalas. Coloque uma vasilha com água no centro da sala e peça para cada catequizando oferecer a sua flor à Nossa Senhora. Depois que todos fizerem sua oferta, reflita sobre o que aconteceu. O que representam as flores que se abriram? Será que estamos rezando com amor e pedindo com fé? Explicar que Nossa Senhora acolhe com carinho todos os nossos pedidos e sempre intercede por nós junto a Jesus. Concluir este momento com a oração da Ave Maria.

  
“Quem se exaltar será humilhado, e
quem se humilhar será exaltado”.

24 de outubro de 2011

Encontro da Saudade

Uma colega me pediu sugestões para o último encontro de catequese com crianças que estão se preparando para a 1ª Eucaristia. Estou postando algumas sugestões. Se alguém tiver outras e puder compartilhar, fique à vontade!

Batizei este encontro com o nome de “Encontro da Saudade”.

Seria interessante realizar o encontro com todas as coisas que marcaram o ano na catequese. Prepare um ambiente bem aconchegante, se possível, monte um painel com fotos e frases de momentos importantes que eles viveram durante o ano.

No encontro anterior, o catequista deve pedir para cada catequizando trazer um objeto que represente um momento especial que lhe aconteceu na catequese. Pode ser um crachá, uma lembrancinha, etc. Caso ele não tenha um objeto, pode fazer um desenho que represente este momento.

O catequista deve preparar um baú (pode usar caixa de papelão) com o título: Baú das Recordações, onde cada criança irá colocar seu objeto.

Acolhida – Neste momento podemos cantar e dançar as músicas que eles mais gostaram de aprender na catequese.

Oração Inicial
Coloque o Baú das Recordações no centro da sala para que todos coloquem seu objeto. Ao lado dele, coloque o desenho de chaves numeradas. À medida que os catequizandos vão chegando, depositam sua recordação no baú, retiram uma chave e vão ocupar seu assento, formando um círculo em volta do baú.
Em seguida, fazemos um momento de silêncio, pedindo para que todos fechem os olhos e tentem recordar de tudo o que vivemos e aprendemos na catequese. Se possível, colocar uma música suave, baixinho.

Após a reflexão, podemos colocar a música “O Caderno” (Pe. Fábio de Melo), dizendo que, durante o ano vivemos muitas coisas boas e algumas podem não ter sido tão boas, mas podemos e devemos aprender com todas as situações da nossa vida.

Concluir este momento lembrando que, mais que amigos, somos todos irmãos, filhos do mesmo Pai, que é Deus, e com todo nosso amor, vamos rezar a oração que nosso irmão Jesus nos ensinou. Pai Nosso ...


Baú das Recordações
Inicialmente, o catequista comenta: “Nós, seres humanos, nos comunicamos também através das coisas … os objetos que guardamos como recordações revelam a nós mesmos, assim como expressa aos demais, algo de nossa vida, de nossa história pessoal e familiar … Ao comentarmos nossas recordações, vamos revelar, hoje, parte da nossa história. Preparemos nosso espírito para receber este presente tão precioso constituído pela intimidade do outro, que vai partilhá-la gratuitamente conosco”.


O catequista convida a criança cuja chave contenha o número 01 a retirar sua recordação do baú, apresentá-la ao grupo e comentar o seu significado; os demais podem fazer perguntas. Assim se procede até que seja retirada a última recordação, encerrando com a participação do catequista.

Sugestão para concluir este momento: Ao final da apresentação de todos, o catequista comenta que todos esses momentos aconteceram primeiramente porque Deus nos ama muito e nos quer ver felizes e, em segundo lugar, porque nós permitimos a ação de Deus em nossas vidas. Por tudo isso devemos agradecê-lo. Colocar a música “És meu tudo” (Canção Nova) ou outra à seu critério.

Amigo secreto
Para fechar o encontro, o catequista pode fazer um amigo secreto ou amigo doce, ou ainda, fazer a brincadeira do presente (abaixo):

Prepare um presente bem bonito. Dentro dele coloque presentinhos iguais a quantidade de catequizandos da turma. Em um envelope, coloque as frases abaixo em ordem. Entregue o presente para um catequizando que deve ler a frase 1 e fazer o que ela indica, dando continuidade à brincadeira até o presente chegar nas mãos daquele que é justo e deverá partilhar o presente com a turma.


Obs: Você pode alterar a quantidade de frases de acordo com a quantidade de catequizandos de sua turma.

1. PARABÉNS! Você tem muita sorte. Foi premiado com este presente, mas ele não é seu. Passe para quem você acha mais ALEGRE.

2. Alegria! Alegria! Com sua alegria passe o presente ao amigo mais INTELIGENTE.

3. Parabéns pela sua inteligência, mas o presente ainda não é seu. Passe-o para quem lhe transmite PAZ.

4. O mundo inteiro precisa de paz. Com muita Paz, passe o presente a quem você considera mais AMIGO.

5. Parabéns por ser amigo, mas o presente. . . ainda não é seu. Passe-o a quem você considera DINÂMICO.

6. Seja sempre dinâmico, levando a todos boas idéias e boas ações. Parabéns! Mas passe o presente a quem acha mais SOLIDÁRIO.

7. Parabéns! Você prova ser continuador e seguidor dos ensinamentos de CRISTO.
Olhe para os amigos e passe o presente a quem você considera mais ELEGANTE.

8. Parabéns! Elegância completa a criação humana, mas o presente ainda não será seu, passe-o a quem você acha mais OTIMISTA.

9. Otimista é aquele que sabe superar todos os obstáculos com alegria. É bom conviver com você, mas o presente ainda não será seu. Passe-o a quem você acha COMPETENTE.

10. Competentes são pessoas capazes de fazer bem todas as atividades a elas confiadas, mas o presente ainda não é seu. Passe-o a quem você considera CARIDOSO.

11. A caridade é de grande valor e você que é assim tão perfeito na caridade, merece o presente. Mas mesmo assim, passe o presente a quem você acha PRESTATIVO.

12. Prestativo é aquele que serve a todos com boa vontade e está sempre pronto a qualquer sacrifício para servir. Você também merece o presente. Mas ele ainda não é seu. Passe-o a quem você acha que é um ARTISTA.

13. Admiramos você que é realmente um artista, mas o presente ainda não é seu. Passe-o a quem você acha que tem mais FÉ.

14. Fé é um dom que vem de Deus. Feliz de você que tem fé, pois com ela você suporta tudo. Mas o presente não é seu, pois você não precisa dele. Passe-o a quem você acha que tem o espírito de LIDERANÇA.

15. Junto de você que é líder nos sentimos seguros e confiantes, mas o presente ainda não é seu. Passe-o a quem você acha mais COMUNICATIVO.

16. Parabéns! Você é comunicativo e sua presença com certeza alegra a todos que estão em sua volta. Passe o presente para a pessoa que mais sabe PERDOAR.

17. Parabéns! Esta é uma das virtudes mais raras no mundo de hoje. Me perdoe, mas o presente ainda não é seu. Passe-o a quem você acha mais JUSTO.

18. Justiça! Foi o que Cristo mais pediu para o seu povo e por isso foi crucificado. Mas não desanime. Ser justo é colaborar com a transformação de nossa sociedade. Parabéns, por esta virtude você merece ficar com o presente, mas você agora deve dar uma demonstração de seu espírito de justiça e tomar uma decisão: Você quer ficar com o presente ou deseja dividi-lo com seus amigos?

Oração Final
Neste momento, o catequista pode fazer um agradecimento especial à turma e concluir com uma oração espontânea.

20 de outubro de 2011

Encontro de Catequese - Tema: Juízes e o Tempo dos Reis


Acolhida – Acolher os catequizandos com alegria e cânticos animados.

Oração Inicial – Pai Nosso Gesticulado.

Recordando o encontro anterior – Relembrar o que aprendemos no encontro anterior e corrigir as atividades propostas.

Motivação (ver):
- Perguntar aos catequizandos: Vocês sabem o que é um líder ou um herói? Quem é o seu herói?

Colocação do tema (julgar):
- Contar a história de um herói da Bíblia: Sansão (Ler Jz 13).
- As tarefas dos juízes eram:
   Assumir com responsabilidade a missão libertadora do povo;
   Governar o povo com justiça, conforme a Lei de Deus;
   Manter o povo fiel ao Deus que o salvou do Egito e o trouxe pelo deserto até a Terra Prometida;
   Rezar a Deus pelo povo;
   Ensinar o povo a ser sempre fiel a Deus.
- Refletir: Hoje, todos nós somos o Povo de Deus. Quem são os nossos líderes, hoje? Eles são justos como os juízes, no tempo de Sansão? Quais são as tarefas dos nossos líderes de hoje? E todos são fiéis à sua missão?
- Sabemos que nem todos são féis aos planos de Deus. Naquele tempo, o povo também foi infiel e sofreu muito por isso.
- Depois dos juízes, o povo de Israel, vendo que os outros povos tinham um Rei, desejou também ter um rei. (Ler 1Sm 10, 1-21)

Evangelho do dia – Mt 22, 34-40

Dinâmica – Feitiço contra o feiticeiro.
A partir desta dinâmica, vamos refletir o sentido do evangelho do dia e concluir a compreensão sobre o tema do dia.
Cada catequizando será um rei e deve fazer um decreto, ou seja, deve falar uma tarefa que o colega da direita deverá executar. O colega não pode se recusar a fazer, pois é um decreto do rei. Depois que todos falarem o seu decreto, o catequista explica que o feitiço virou contra o feiticeiro. Na verdade quem vai executar a tarefa é o próprio rei, logo cada um deve realizar a tarefa que falou para o seu colega realizar.
Ao final da brincadeira, refletir: O que acharam? Se soubessem que você mesmo iria realizar a tarefa, teria escolhido uma tarefa mais fácil? Será que nossos líderes pensam dessa forma? O que Jesus nos pediu neste evangelho? Explicar que não devemos desejar para ninguém aquilo que não queremos para nós.

Agir Transformador (ação):
- Procurar, durante a semana, estar atentos a vontade de Deus, se esforçando para agir como um rei justo e fiel, ajudando a todos que precisarem de você.
- Observar o comportamento de nossos líderes. Anotar e trazer no próximo encontro: O que você acha que nossos líderes fazem de bom? E, na sua opinião, o que eles fazem que não agrada a Deus?

Atividade – Lição 15 e 16 do livrinho.

Oração Final – Oração espontânea, pedindo a Deus que nos ajude a amar ainda mais.

Obs: Próximo sábado será o encerramento do mês missionário.
Separe a turma em 5 equipes. Cada equipe vai representar um Continente. Todos devem fazer uma pesquisa sobre o seu continente para trazer no próximo encontro.
No encontro seguinte, após a apresentação dos catequizandos sobre os continentes, podemos rezar o terço missionário, onde cada equipe deve rezar o mistério dedicado ao seu continente.


“Ame ao Senhor seu Deus com todo o seu coração,
com toda a sua alma e com todo o seu entendimento”

17 de outubro de 2011

A Santa Missa explicada por Padre Pio


"Padre Pio era o modelo de cada padre... Não se podia assistir "à sua Missa", sem que nos tornássemos, quase sem perceber, "participantes" desse drama que se vivia a cada manhã sobre o altar. Crucificado com o Crucificado, o Padre revivia a paixão de Jesus com grande dor, da qual fui testemunha privilegiada, pois lhe ajudava, na missa.
Ele nos ensinava que nossa Salvação só se poderia obter se, em primeiro lugar, a cruz fosse plantada na nossa vida. Dizia: "Creio que a Santíssima Eucaristia é o grande meio para aspirar à Santa Perfeição, mas é preciso recebê-La com o desejo e o engajamento de arrancar, do próprio coração, tudo o que desagrada Àquele que queremos ter em nós".(27 de julho 1917). Pouco depois da minha ordenação sacerdotal, explicou-me ele que, durante a celebração da Eucaristia, era preciso colocar em paralelo a cronologia da Missa e a da Paixão. Trata-se, antes de tudo, de compreender e de realizar que o Padre no altar É Jesus Cristo. Desde então, Jesus, em seu Padre, revive indefinidamente a mesma Paixão.

Do sinal da cruz inicial até o Ofertório, é preciso ir encontrar Jesus no Getsemani, é preciso seguir Jesus na Sua agonia, sofrendo diante deste "mar de lama" do pecado. È preciso unir-se a Jesus em sua dor de ver que a Palavra do Pai, que Ele veio nos trazer, não é recebida pelos homens, nem bem, nem mal. E, a partir desta visão, é preciso escutar as leituras da Missa como sendo dirigidas a nós, pessoalmente.

O Ofertório: É a prisão, chegou a hora...

O Prefácio: É o canto de louvor e de agradecimento que Jesus dirige ao Pai, e que Lhe permitiu, enfim, chegar a esta "Hora".

Desde o início da Oração Eucarística até a Consagração : Nós nos unimos (rapidamente!...) a Jesus em Seu aprisionamento, em Sua atroz flagelação, na Sua coroação de espinhos e Seu caminhar com a cruz nas costas, pelas ruelas de Jerusalém e, no "Memento", olhando todos os presentes e aqueles pelos quais rezamos especialmente.

A Consagração nos dá o Corpo entregue agora, o Sangue derramado agora. Misticamente, é a própria crucifixão do Senhor. E é por isso que Padre Pio sofria atrozmente neste momento da Missa.

Nós nos uníamos em seguida a Jesus na cruz, oferecendo ao Pai, desde esse instante, o Sacrifício Redentor. Este é o sentido da oração litúrgica que segue imediatamente à consagração.

"Por Cristo com Cristo e em Cristo" corresponde ao grito de Jesus: "Pai, nas Tuas Mãos entrego o Meu Espírito!" Desde então, o sacrifício é consumado pelo Cristo e aceito pelo Pai. Daqui por diante, os homens não mais estão separados de Deus e se encontram de novo unidos. É a razão pela qual, nesse instante, recita-se a oração de todos os filhos: "Pai Nosso...".

A fração da hóstia indica a Morte de Jesus...

A Intinção, instante em que o Padre, tendo partido a hóstia (símbolo da morte...), deixa cair uma parcela do Corpo de Cristo no cálice do Precioso Sangue, marca o momento da Ressurreição, pois o Corpo e o Sangue estão de novo reunidos e é ao Cristo Vivo que vamos comungar. A Benção do Padre marca os fiéis com a cruz, ao mesmo tempo como um extraordinário distintivo e como um escudo protetor contra os assaltos do Maligno...

Pe. Jean Derobert


Depois de ter escutado uma tal explicação dos lábios do próprio Padre e sabendo bem que ele vivia dolorosamente tudo aquilo, compreende-se que me tenha pedido segui-lo neste caminho... o que eu fazia cada dia... E com que alegria! (Pe Jean Derobert)


Palavras de Padre Pio

Jesus me consolou. Em 18 de abril de 1912, depois de uma luta terrível contra o inferno, a consolação do Senhor me veio depois da Missa: "Ao final da missa, conversei com Jesus para a ação de graças. Oh quanto foi suave o colóquio mantido com o paraíso nessa manhã!... O coração de Jesus e o meu se fundiram. Não eram mais dois que batiam, mas um só. Meu coração tinha desaparecido como uma gota de água se dissolve no mar... - Padre Pio chorava de alegria.- Quando o paraíso invade um coração, esse coração aflito, exilado, fraco e mortal não pode suporta-lo sem chorar...". Ao Pe Agostinho, 18/04/1912, em "Padre Pio, Transparent de Dieu", J.Derobert.

Confidências a seus filhos espirituais

"Minha missa é uma mistura sagrada com a Paixão de Jesus. Minha responsabilidade é única no mundo", disse ele chorando.
"Na Paixão de Jesus, encontrarão também a minha".
"Não desejo o sofrimento por ele mesmo, não; mas pelos frutos que me dá. Ele dá glória a Deus e salva meus irmãos, que mais posso desejar?". "A que momento do Divino Sacrifício mais sofreis?". - Da consagração à comunhão." "Durante o ofertório?. - É neste momento que a alma é separada das coisas profanas." "A consagração?". - É verdadeiramente aí que advém uma nova admirável destruição e criação." "A Comunhão? Na comunhão, sofreis a morte? - Misticamente, sim. - Por veemência de amor ou de dor? - Por uma e outra: mas mais por amor." "Sofreis toda e sempre a Paixão de Jesus?". - Sim, por Sua bondade e Sua condescendência, tanto quanto é possível a uma criatura humana. - E como podeis trabalhar com tanta dor? - Encontro o meu repouso sobre a cruz." "Como nós devemos ouvir a Santa Missa?". - Como a assistiam a Santa Virgem Maria e as Santas mulheres. Como São João assistiu ao Sacrifício Eucarístico e ao Sacrificio sangrento da cruz "". Pe. Tarcísio, Congresso de Udine, 1972.

O Maravilhoso valor da Santa Missa

Você já refletiu sobre o valor da Santa Missa?

Leia:

1. Na hora da morte, as missas a que houveres participado serão a tua maior consolação.

2. Toda missa implora o teu perdão junto a Justiça Divina.

3. Em toda missa podes diminuir a pena temporal devida aos teus pecados e diminuí-la de acordo com teu fervor.

4. Participando com devoção da santa missa, prestas a maior das honras a santa humanidade de Nosso Senhor Jesus Cristo.

5. Jesus Cristo se compadece de muitas das tuas negligências e omissões.

6. Perdoa os teus pecados veniais não confessados, dos quais te arrependeres.

7. Diminui o império de satanás sobre ti.

8. Sufraga as almas do purgatório da melhor maneira possível.

9. Uma só missa que tiveres participado em vida te é mais salutar e valiosa que inúmeras outras assistidas em tua intenção por outros após tua morte. Pois participando da santa missa, participas também da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo.

10. A missa te livra de muitos perigos e desgraças temporais que te abateriam.

11. Toda missa diminui o teu purgatório.

12. Toda missa alcança-te um grau maior de glória no Céu.

13. Na missa recebes a benção do sacerdote, a qual Nosso Senhor confirma no Céu.

14. És abençoado em teu corpo e tua saúde, em teus negócios e empreendimentos e em tua alma para a tua salvação.

Pensamentos de Santos sobre a Santa Missa:

“Fica sabendo ó cristão, que mais se merece em ouvir devotamente uma só missa do que distribuir todas as riquezas aos pobres e peregrinar toda a terra” (São Bernardo)

“Nosso Senhor nos concede tudo o que lhe pedimos na Santa Missa: e o que mais vale é que nos dá ainda o que nem sequer cogitamos pedir-lhe e que, entretanto nos é necessário” (São Jerônimo)

“Se conhecêssemos o valor do santo sacrifício da missa que zelo não teríamos em assistir a ela!” (São Cura d’Ars)

“A missa é o Sol da Igreja” (São Francisco de Sales)

7 de outubro de 2011

Encontro de Catequese - Tema: Abraão, o pai da fé

Acolhida – Acolher os catequizandos com alegria e cânticos animados.

Oração Inicial – Oração de São Francisco.
Sugestão: Podemos fazer um jogral desta oração, onde os meninos rezam uma parte e as meninas rezam a outra.

Recordando o encontro anterior – Relembrar o que aprendemos no encontro anterior e corrigir as atividades propostas.

Motivação (ver):
- Contar a história de São Francisco e perguntar se os catequizandos conhecem alguém que, como São Francisco, deixou tudo para servir a Deus. Em seguida fazer a ligação da história de São Francisco com a história de Abraão.

Colocação do tema (julgar):
Apresentar a história de Abraão que deixou tudo o que tinha e o lugar onde morava para seguir o chamado de Deus. (Leituras: Gn 12,1-9; 17, 1-8; 22, 1-19)
- Abraão era uma pessoa muito boa. Embora não tivesse filhos e fosse muito rico, só pensava em fazer o bem. Mas na região que ele vivia as pessoas eram más e tinham outros deuses. Eram egoístas com suas coisas e não pensavam em fazer o bem para os outros e Deus amava Abraão por sua bondade.
- Abraão gostava de Deus e acreditava em tudo o que Deus lhe falava, mesmo que fosse difícil fazer o que Deus lhe pedia.
- Sacrifício de Isaac: Abraão não teve medo de dar tudo a Deus. Por isso, Deus lhe deu tudo: uma terra bonita, um filho, e fez dele Pai do Povo Hebreu, povo no qual o Salvador iria nascer.
- Depois do "não" que o homem disse a Deus (Adão e Eva), Abraão é o homem que disse SIM a Deus.

Para fixar o tema, podemos fazer a seguinte dinâmica:
O coordenador deve pedir a todos os participantes que se apóiem em um pé só. Em seguida, vai dando os comandos, pede para dar um pulo para frente sem colocar o outro pé no chão, um pulo para a direita outro para esquerda, dar uma rodadinha, uma abaixada e etc.
Depois de algum tempo, perguntar o que eles sentiram? Foi difícil?
Mensagem: Não podemos viver com o nosso individualismo porque podemos cair e não ter força para levantar. Porque ficarmos sozinhos se temos um ombro amigo do nosso lado? Lembrar que, assim como Abraão, que se uniu a sua família e ao seu povo, precisamos viver unidos para fazer a vontade de Deus, pois sozinhos podemos ser fracos e cair.

Agir Transformador (ação):
- Nós temos a coragem de abandonar tudo e seguir a Deus? (Comentar que nem sempre é preciso sair da sua cidade ou do seu país pra servir a Deus, também podemos fazer a vontade de Deus no lugar onde vivemos.) Por isso, esta semana, vamos nos esforçar para ajudar as pessoas que precisam da gente, em nossa comunidade.

Atividade – Lição 05 do livrinho.

Evangelho do dia – Mt 22, 1-14

Oração Final – Oração de Nossa Senhora Aparecida.

“Muitos são chamados, e poucos são escolhidos.”

5 de outubro de 2011

Dinâmicas

Olá! Recebi um pedido de dinâmicas para crianças e estou postando várias sugestões que podem ser usadas tanto em gincanas como em momentos de diversão e até mesmo para fixar alguns assuntos. Espero que gostem!



Pescaria
Uma bacia com água, peixes de plástico e varinhas de pescar. Uma pessoa de cada equipe terá 20 segundos para tentar pescar. Quem conseguir mais peixes será o vencedor. Outra forma é fazer peixinhos de EVA e colocar perguntas bíblicas ou prendas em cada peixe. Um representante de cada equipe deverá fazer a pescaria e executar o que estiver escrito no peixinho. Se responder certo ou pagar a prenda direitinho, a equipe marca ponto.

Boliche de Garrafas PET
Prepare umas 10 garrafas PET. Em cada uma escreva o nome de algo ruim ex: Pecado, Desunião, Brigas, Desobediência ... Uma pessoa de cada equipe deve tentar derrubar o maior número de garrafas com uma tentativa. Ganha a equipe que derrubar mais garrafas.

Dança da laranja
Uma dupla por equipe. Cada dupla terá que dançar com uma laranja entre a testa dos dois com as mãos para trás. A equipe que derrubar a laranja ou não estiver dançando no ritmo da música, sai da dança. O objetivo é ver que equipe consegue ficar mais tempo com a laranja na testa sem deixar cair.

Corrida da bolinha na colher
Dois participantes por equipe. Um participante coloca uma bolinha na colher e leva até o outro, equilibrando a colher com a boca. O outro deve receber também com a colher na boca, sem deixar a bolinha cair. Quem completar 5 bolinhas primeiro, ganha. Se a bolinha caiar, terá que voltar para o ponto de partida e começar novamente.

Varal dos biscoitos
Um participante por equipe. O participante tentará comer o biscoito que estará amarrado em um varal sem poder utilizar as mãos. Quem conseguir comer todo o biscoito primeiro será o vencedor.

Corrida do Sapato
Cinco participantes por equipe. Todos terão que tirar os sapatos e encostar de cara para uma parede, os sapatos serão embaralhados e dada à largada cada participante terá que vestir seu sapato. A equipe que conseguir vestir primeiro será a vencedora.

Lança argolas
Cada equipe escolherá um participante que seja bom de arremesso. Esse participante tentará acertar a argola no bico da garrafa. Quem conseguir acertar mais argolas ganha.

Dinâmica da bexiga no Pé
Cinco participantes por equipe. Cada participante terá uma bexiga amarrada em seu pé direito e com o pé esquerdo tentará estourar a bexiga da equipe adversária sem deixar que estourem a que está amarrada ao seu pé. Quem estiver a bexiga estourada sai da brincadeira. A equipe que ficar com mais bexigas cheias será a vencedora.

Dança do Chapéu
Em círculo, ao som de uma música, todos devem dançar, passando um chapéu. Quando a música parar, aquele que estiver com o chapéu, deve responder uma pergunta sobre a Bíblia.

Repolho
Prepare várias perguntas bíblicas e algumas prendas. Amasse uma folha por cima da outra, fazendo uma bola que lembra o formato de um repolho. Em círculo todos passam o repolho de mão em mão. Quando a música parar, quem estiver com o repolho, deve descascar uma folha e fazer o que está escrito.

Corrida de Jornais
A cada participante são fornecidas duas folhas de jornal. Cada passo na corrida deve ser dado em cima dos jornais. Desta maneira, ele põe uma folha no chão, pisa em cima; põe a outra no chão, pisa em cima; pega a primeira que ficou para trás, trazendo-a novamente à frente, e assim sucessivamente até alcançar o alvo. Quem chegar primeiro é o vencedor.

A Barata voou
Separe a turma em duplas e depois coloque-os em círculo. O catequista começa a brincadeira, dizendo: A Barata voou, voou, e caiu na cabeça da “Ana”. O amigo da Ana deve responder: Na cabeça da Ana não, foi na cabeça do Pedro. O amigo do Pedro deve responder: Na cabeça do Pedro não, foi na cabeça do João, e assim sucessivamente até alguém errar. Quando alguém falar o seu nome, quem deve lhe salvar é o seu amigo. Quem demorar pra salvar o amigo ou quem responder errado, sai da brincadeira.

Jogo da Memória (Com figuras Bíblicas)
Prepare vários pares de figuras Bíblicas e faça um jogo da memória. Cada equipe escolhe um representante para jogar. Cada um vai dizendo onde está o par correto. Cada vez que errar, passa a vez para a outra equipe. O vencedor é aquele que virar o último par de figuras.

Bingo Bíblico
Prepare as cartelas e peça para cada criança escrever o nome de 9 livros da Bíblia. Escreva o nome de todos os livros e faça o sorteio até alguém conseguir completar a cartela.

Frase embaralhada
Escreva frases bíblicas, embaralhe e entregue para cada equipe. A equipe que conseguir montar a frase primeiro é a campeã.
Ex: A Bíblia é a Palavra de Deus.
     A Bíblia está dividida em Antigo e Novo Testamento.

Mímicas
Cada equipe escolhe um representante para fazer mímicas de uma passagem da Bíblia, em 1 minuto. A equipe que acertar a mímica marca ponto.
Ex: Os 10 mandamentos.
      A arca de Noé.
      O bom samaritano.
      Pedro nega a Jesus.
      Pedro afunda nas águas.
      Judas traindo Jesus.
      O milagre da multiplicação dos pães.
      O milagre da transformação da água em vinho.

Desenhos
Cada equipe escolhe um representante para fazer o desenho de uma passagem da Bíblia, em 1 minuto. A equipe que acertar o desenho marca ponto.
Ex: Descida do Espírito Santo.
     Travessia do Mar Vermelho.
     Zaqueu.
     O Batismo de Jesus.
     Davi e Golias
     O anjo Gabriel aparecendo à Maria

Caça ao Tesouro - Charadas
Cada grupo recebe uma charada. No momento da caça ao tesouro os grupos irão abrir o envelope e ler a charada tentando decifrá-la, até achar a segunda pista. Se o grupo não conseguir achar a segunda pista ou mesmo não conseguir decifrar a charada deve pagar uma prenda designada pelos participantes. Quando o grupo achar a 2ª pista não pode ler, deve levar ao dirigente da Gincana.

Dado Bíblico
Faça um dado, escrevendo um assunto em cada face. Ex: Bíblia, 10 Mandamentos, Jesus, Sacramentos, Maria, Surpresa. Cada equipe escolhe um representante para jogar o dado. A face que ficar para cima representa o tema da pergunta que a criança terá que responder.

Acerte o Personagem
O catequista vai falando algumas descrições de um personagem bíblico para o grupo, e este vai tentar identificar o personagem, se o grupo não acertar passa para o outro grupo.

Jogo das Perguntas
Nesta modalidade cada grupo tem a oportunidade de fazer urna pergunta difícil ao grupo oponente. O grupo que faz a pergunta vai ficar com os pontos se o grupo adversário não souber responder.

Leilão de Perguntas
Esta é a oportunidade do grupo de apostar os pontos que tem tentando aumentá-los. A aposta terá um mínimo e um máximo (Ex: mínimo 2 pontos e máximo 10 pontos). O grupo terá um tempo determinado para decidir quanto vai apostar, o grupo terá a chance de escolher a pergunta indicando um número. Se o grupo acertar a resposta ganha o quanto apostou se errar perde o que apostou.

Tato com os pés
Cada equipe escolhe um representante que, de olhos vendados, deve tentar adivinhar o objeto com os pés. Quem acertar marca ponto.

Prova do Paladar
Cada equipe escolhe um representante que, de olhos vendados, deve tentar adivinhar o alimento. Quem acertar marca ponto.

Prova do cheiro
Cada equipe escolhe um representante que, de olhos vendados, deve tentar adivinhar o cheiro. Quem acertar marca ponto.

Prova do coral
Cada equipe deve cantar e dançar uma música, bem bonito. A melhor equipe ganha ponto.

Palavras que começam com a letra ...
Cada equipe escolhe um representante. O catequista escolhe uma letra e cada criança deve escrever os itens abaixo começando com a letra escolhida.
Homem da Bíblia / Mulher da Bíblia / Cidade Bíblica / Rio Bíblico / Livro da Bíblia

Maior número de Bíblias
A equipe que tiver o maior número de Bíblias marca ponto.

Quebra-cabeça de desenho bíblico
Pegue dois desenhos bíblicos e recorte em vários pedaços. A equipe que conseguir montar o desenho primeiro, marca ponto.

Sugestões de Perguntas
1) Qual o nome certo do livro de Atos? R: Atos dos Apóstolos.
2) Quem falou: "Não possuo nem prata nem ouro"? R: Pedro. (Atos 3,6)
3) Por quantos dias Saulo ficou em jejum enquanto estava em Damasco? R: Três dias (Atos 9,9)
4) Qual foi o tipo de árvore que Zaqueu subiu para ver Jesus? R: Sicômoro (Lucas 19,4)
5) Segundo Isaías 59,2 o que separa o homem de Deus? R: O pecado.
6) Por quanto tempo Paulo ficou cego? R: Por três dias (Atos 9,9)
7) Qual foi o sinal que veio depois que um discípulo negou Jesus? R: O galo cantou (João 18,27)
8) Em qual cidade Jesus morou quando era menino? R: Nazaré (Mateus 2,23)
9) Quantas filhas de Ló saíram de Sodoma? R: Duas (Gênesis 19,14-16)
10) Quantas pessoas entraram na arca de Noé? R: Oito (Gênesis 7,7)
11) Com que gesto Jesus foi traído? R: Com um beijo (Marcos 14,44-45)
12) O que Jonas mandou fazer para que o mar se aquietasse? R: Lançá-lo ao mar (Jonas 1,12)
13) Qual cidade Jesus nasceu? R: Belém (Mateus 2,1)
14) Como são chamadas as histórias que Jesus usou para ensinar os discípulos? R: Parábolas (Marcos 4,2)
15) Quantos dias Deus levou para criar todas as coisas? R: Seis dias
(Genesis 1,3-31)
16) Em quais línguas foi escrito o título INRI na cruz de Jesus? R: Hebraico, latim e grego (João 19,20)
17) Quantos anos tinha Jesus quando foi batizado? R: Mais ou menos trinta anos (Lucas 3,23)
18) Quantas pessoas Jesus batizou? R: Nenhuma (João 4,2)
19) Qual foi o primeiro discípulo que acompanhou a Jesus? R: André (João 1,35-42)
20) Quem foi conhecido como o discípulo a quem Jesus amava? R: João
(João 19,26)
21) Qual é o significado da palavra 'Rabi'? R: Mestre (João 1,38)
22) Quais dos discípulos que queriam assentar-se um a direita e outro a esquerda de Jesus na sua gloria? R: Tiago e João (Mateus 10,35-37)
23) Qual foi o motivo que o rei deu para querer saber onde Jesus estava ao nascer? R: Para ir adorá-lo (Mt 2,8)
24) Quantas vezes Jesus perguntou a Pedro "Tu me amas"? R: 3 vezes. (João 21,17)
25) No livro de Apocalipse, o que foi ordenado que João comesse? R: Um livro.
(Ap 10,8-9)
26) Qual o nome da fonte onde Jesus conversou com a mulher Samaritana?
R: Fonte de Jacó (Jo 4,6-7)
27) Quando Jesus chegou a Jerusalém um dia ele foi ao templo onde ele expulsou alguns vendedores, que animais estavam sendo vendidos no templo? R: Bois, ovelhas e pombas (Jo 2,14)
28) Quando Jesus foi batizado o que desceu sobre ele? R: O Espírito de Deus como pomba (Mt 3,16)
29) Qual o nome, da cidade onde Jesus foi crucificado? R: Jerusalém (Mc 15,22)
30) Para onde o anjo mandou José levar Maria e o menino Jesus? R: Para o Egito (Mt 2,13)

1 de outubro de 2011

Trabalhando o Perdão

Minha amada amiga Zena me contou uma linda história e eu gostaria de partilhar com vocês. É ótima para trabalhar o perdão com as crianças.



O pequeno Zeca chegou da escola muito irritado, chtando tudo. Seu pai, que estava indo para o quintal fazer alguns serviços na horta, ao ver aquilo chama o menino para uma conversa.

Zeca, de oito anos de idade, o acompanha desconfiado. Antes que seu pai dissesse alguma coisa, fala irritado:

- Pai estou com muita raiva. O Juca não deveria ter feito isso comigo. Desejo tudo de ruim para ele.

Seu pai, um homem simples mas cheio de sabedoria, escuta, calmamente, o filho que continua a reclamar:

- O Juca me humilhou na frente dos meus amigos. Não aceito. Gostaria que ele ficasse doente sem poder ir à escola.

O pai escuta tudo calado enquanto caminha até um abrigo onde guardava um saco cheio de carvão. Levou o saco até o fundo do quintal e o menino o acompanhou, calado. Zeca vê o saco ser aberto e antes mesmo que ele pudesse fazer uma pergunta, o pai lhe propõe algo:

- Filho, faz de conta que aquela camisa branquinha que está secando no varal é o seu amiguinho Juca e cada pedaço de carvão é um mau pensamento seu para ele. Quero que você jogue todo o carvão do saco na camisa, até o último pedaço. Depois eu volto para ver como ficou.

O menino achou que seria uma brincadeira divertida e pôs mãos à obra. O varal com a camisa estava longe do menino e poucos pedaços acertavam o alvo. Uma hora se passou e o menino terminou a tarefa. O pai que espiava tudo de longe, se aproxima do menino e lhe pergunta:

- Filho como está se sentindo agora?

- Estou cansado, mas estou alegre porque acertei muitos pedaços de carvão na camisa.

O pai olha para o menino, que fica sem entender a razão daquela brincadeira, e carinhoso lhe fala:

- Venha comigo até o meu quarto, quero lhe mostrar uma coisa.

O filho acompanha o pai até o quarto e é colocado na frente de um grande espelho onde pode ver seu corpo todo. Que susto! Só se conseguia enxergar seus dentes e os olhinhos.

O pai, então, lhe diz ternamente:
- Filho, você viu que a camisa quase não se sujou; mas, olhe só para você. O mau que desejamos aos outros é como o que lhe aconteceu. Por mais que possamos atrapalhar a vida de alguém com nossos pensamentos, a borra, a sujeira, os resíduos ficam sempre em nós mesmos.


Sugestão: Para refletir sobre o sentido desta história com as crianças, podemos fazer a seguinte dinâmica:
Suje as mãozinhas das crianças com tinta guache (elas devem substituir o carvão da história). Peça para cada um pensar nas coisas ruins que já fez ou desejou para alguém. Coloque uma vasilha com água no centro da sala. Após um momento de reflexão, explique que aquela água é o amor e a misericórdia de Deus que, apesar dos nossos erros, Ele sempre nos perdoa. Peça, então, para cada criança lavar as mãos e perceber o que acontece quando nos arrependemos das coisas erradas que fazemos. O amor de Deus apaga toda a sujeira que há em nós e nos deixa limpinhos de novo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...